Há um pouco de desinformação, ignorância e má-fé, diz Barroso sobre descrença nas urnas
08/08/2022 08:42 em Genérica

Ex-presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ministro Luís Roberto Barroso afirmou neste domingo (7), em entrevista , que há "um pouco" de desinformação, ignorância e má-fé no discurso que tenta desacreditar a segurança das urnas eletrônicas.

Barroso, que é ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), deu a declaração sem citar o presidente Jair Bolsonaro, que fala sem jamais apresentar provas a respeito de fraudes nas eleições de 2014 e de 2018. Não há registro de fraude nas eleições no Brasil desde 1996, quando começou a ser adotado o voto nas urnas eletrônicas.

"Com tanta coisa neste momento no mundo e no Brasil indo mal, há uma certa obsessão por mexer exatamente naquilo que funciona bem, que é o sistema eleitoral. Eu acho que há um pouco de desinformação, um pouco de ignorância e há um pouco de má-fé. Portanto cada um desempenhando o papel que deseja", disse Barroso.

Barroso afirmou que no Brasil a mentira passou a ser "naturalizada" como se fosse um "instrumento legítimo", usado na defesa de ideias no debate público. Na opinião do ministro, será preciso educar a população para que se entenda outra vez que mentir é "errado".

"A mentira não é uma forma legítima. Nós temos que fazer com que mentir seja errado de novo", destacou.

"As fake news, a mentira na rede, é como a criminalidade. Nós vamos precisar educar a sociedade para não cometer esse delito nem circular informações falsas", acrescentou.

Barroso desmentiu a informação falsa propagada por Bolsonaro e seus apoiadores de que a apuração dos votos no dia das eleições ocorre em uma "sala secreta" no TSE.

COMENTÁRIOS